quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O fenômeno das redes sociais


Onde estão aqueles bons e velhos grupos de amigos? Aqueles dos encontros semanais para jogar conversa fora, debater, tomar umas e outras... Esse tipo de grupos sociais está cada vez mais raro entre os jovens e, pouco a pouco, com os adultos também.

Saudosismo à parte, a nova onda são as redes sociais virtuais. E agora, aquela “boa e velha turma” se encontra por aí em alguma rede na internet. Caminha-se para uma nova era comportamental em que as relações sociais estão cada vez mais pautadas de acordo com essa mídia. Se inteirar das características dessas relações que se estabelece nas redes sociais se torna algo importante para a vida diária.

No Brasil o primeiro sucesso das redes sociais foi o Orkut, em seguida veio o Facebook e agora a bola da vez é o Twitter. E então, qual é a sua rede? Se você faz parte de pelo menos de uma dessas três, saiba que você também faz parte do que se chama de “cibercultura” e de “Matrix”. Uma coisa é certa, essas redes estão mudando comportamentos. Muitos dos aspectos de transmissão de informação e de capacidade de divulgação se encontram na atualidade marcados pela passagem desses sites e demais espaços da rede mundial de computadores. O fenômeno é mundial e vale ressaltar que não há qualquer tipo de exclusão social neste aspecto, visto que, a inclusão digital parece está sendo bem incentivada, pelo menos, aqui no Brasil.

A exemplo do Orkut, sucesso entre os jovens de todas as classes sociais, destaca-se pela questão sociável onde a meta a ser atingida pelos mais narcisistas é ter mil amigos. A desvantagem da rede é que esta apresenta pouca interatividade. Já o Facebook permite maior interação, há mais aplicativos e um certo aspecto “do se mostrar”, falar de si mesmo, fazer testes de informações pessoais e brincar de interagir se mostrando. Cresce a cada dia o uso do Twitter entre os mais “descolados” e antenados. Com um espaço de apenas 140 caracteres para escrever o que quiser exercita-se a capacidade de ser direto na escrita. Permite uma interação mais síncrona. Lá se fala tudo o que vem a cabeça e “escuta” tudo aquilo que os outros tem a dizer. É o admirável mundo novo diria Aldous Huxley. Uma característica comum das três redes sociais acima é a busca incansável, de alguns membros, por seguidores como se o número deles indicasse de fato popularidade.

Vaidades à parte, a redes se fortalecem justamente pelo agrupamento dos membros e pela interatividade. Logo as redes sociais despertaram os interesses econômicos tornando/adaptando essas redes em mídias sociais. E o motivo é que toda essa interação está cada vez mais rápida somada ao fato de o Brasil ser um dos países de maior acessos a Internet com índices impressionantes.

Surge então no mercado a necessidade de pessoal capacitado para lidar com essa poderosa mídia. Não demorou muito e logo apareceram três novos profissionais em redes sociais: o search engine optimization – SEO que usa uma série de macetes para posicionar melhor um site, uma marca ou produto no buscador do tipo Google e Yahoo. O netweaver (tecelão de redes) orienta os clientes a usar as redes sociais de forma mais eficiente sem perder tempo nas buscas. E o desk researcher (pesquisador profissional) especializado em pesquisas de tendência de mercado. Seu trabalho consiste em descobrir tudo sobre uma determinada área de interesse do cliente.

É isso ai surgem novos produtos, novas demandas, estamos diante também de uma nova forma de olhar e de se posicional diante das tecnologias de comunicação e informação. Mas afinal, qual é a sua Matrix?
Pedro Manoel

7 comentários:

E_Crisol disse...

O que eu tenho a dizer como estudade de Biblioteconomia e futura profissional da informação é que as redes sociais podem ser utilizadas como interação com o usuário, o Twuitter e o Facebook podem estar na moda, mas, de nada adianta se parte dos usuários preferem o Orkut.
Beijão, qualquer dia apareço para comer aquele pão com mortadela, será que ainda estão vendendo?
Abraços, Elane Oliveira....

Anônimo disse...

Assim como a Revolução Industrial foi uma divisora de épocas, a Internet também. Hoje, a comunicação entre as pessoas é mais fácil e também mais fugaz. Louvemos o que tem que ser louvado mas não esqueçamos do que tem que ser lembrado. Eu, como uma velha cinquentona jurássica, não troco por nada um encontro com bons amigos para um bom cálice de vinho, uma boa música e, quem sabe, uns bons amasssos (AH!, AH!,AH!).

BIBLIOTECA PROF. ROBERTO PIMENTEL - LICEU disse...

Oi Pedro
Ontem o Orkut, hoje o Facebook, o Twitter, amanhã sei lá o que, ... Mas também enxergo essas relações sociais como um modo de enriquecer as relações pessoais. ... de certa forma decepcionada com a condição humana na atualidade. .... Entendo que a gente perde o contato físico, mas já pensou ficar sem essas ferramentas, porém a vida virtual movimentada cobra um preço alto: o risco de mitigação dos relacionamentos da vida real.
Andrew Keen, autor de “O Culto do Amador”, conhecido como o anticristo das redes sociais, adverte: “O Twitter é a nova era do individualismo
Partindo desse princípio devemos sim, estarmos abertos a todas as tecnologias, porém nunca deixarmos que as relações humanos o contato físico, o olhar, o sentir, o tocar, sejam substituidos pela máquina.
Cheiro Arlete

D.Everson disse...

Como diriam os acadêmicos "são tempos de Web 2.8"... E o que virá depois só Deus sabe.

lu disse...

é verdade, concordo com suas escolhidas e maravilhosas palavras, "O fenômeno das redes sociais" invadiu nossa sociedade e nos "aproxima" e nos afasta. pois se eu não posso ir ai ver vc e meus queridos colegas da UNICAP, mando um recadinho pelo orkut, mas é claro que preferiria esá com vcs pessoalmente.
abraçãooo

E_Crisol disse...

A mídia nesse caso, é uma faca com dois gumes, ela pode se beneficiar e manipular os resultados. Quem diga na disputa presidenciável entre Lula e Fernando Collor em 1989.
No jogo do poder, sai venedor quem tem mais aliados.
O que será de fato horário nobre, onde se compram os direitos de exibição e somos obrigados a ver todo o tipo de porcaria que passa na TV.
O jeito é colocar o controle remoto pra funcionar, ou ir até à esquina passear com o cachorro...

cassio disse...

Em tempo de internet não é só a amizade que é virtual , sexo também. Isso é uma pena, pois é muito prazeroso dar um abraço em um amigo, assim como fazer amor sentindo o calor da pele do parceiro. Bom... cada saber o que é melhor