terça-feira, 25 de maio de 2010

Conviver: questão de sobrevivência?


Desde os tempos das cavernas que os homens tiveram de se agrupar para sobreviver aos ataques dos predadores. Desde aí não temos mais escolhas, temos que viver em sociedade. Segundo o filósofo espanhol Fernando Savater “Ninguém chega a se tornar humano se está sozinho. Nós nos fazemos humanos uns aos outros” e o filósofo complementa o pensamento mais adiante “Não seríamos o que somos sem os outros, mas custa-nos SER COM os outros”, grifo nosso. Há quem diga que viver é uma arte. Digo: Conviver é uma sabedoria. E como todos sabemos só se adquire a sabedoria da boa convivência com elementos mínimos de comportamento tais como: tolerância e respeito. Esses dois elementos já se definem por si só. O grande desafio humano atual é a possibilidade de se relacionar com as diferenças. E haja diferenças em todos os segmentos. Especialmente no ambiente de trabalho que é um campo fértil de diferenças humanas. Por outro lado, há uma grande semelhança dos profissionais, e acredito até ser a única: realizar um bom trabalho. Para isso é preciso que todas as diferenças sejam diluídas e concentradas na semelhança. Isso é o que se espera de bons profissionais. No entanto, os conflitos fazem parte. E aí surge o desafio da superação dos conflitos no qual é preciso estabelecer limites para as liberdades pessoais de expressar sua opinião com o cuidado de não ferir ou ultrapassar a liberdade do outro. Vale a pena tentar se colocar no lugar do próximo “Mas não caia na armadilha de se colocar no lugar do outro apenas com os seus próprios óculos. Tente enxergar como o outro olhando como se fosse ele também” Afinal antes de profissionais somos humanos e desta forma, precisamos do outro para sobrevivermos.
Pedro Manoel

5 comentários:

Ively disse...

Pedrinho, gostei do texto!
Os relacionamentos são muito importantes no local de trabalho. Para que o ambiente dentro da empresa seja agradável, é necessário que o relacionamento também o seja, entre chefe e subordinados e colegas entre si... Mesmo que não se “morra de amores” pelo colega é preciso que haja, sobretudo, respeito pelo outro! Um comportamento ético já garantiria a harmonia das relações no ambiente de trabalho.
E como vc falou: Todos nós precisamos uns dos outros. Só os orgulhosos e prepotentes pensam que não precisam...

Bjo
Ively

D.Everson disse...

Sempre polemico. Mas sempre polemicas boas. Conviver em sociedade, tá uma cosinha F***.

D.Everson disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
lu disse...

Esse é o "cara"!!!
Realmente a cada dia fica mais complicado de conviver em sociedade, mas, se é com ela que aprendemos como nos comportar, é com ela que vamos exercitar o AMOR!

bju! saudades!

Carlos Vieira disse...

Pedro, belo texto...
Realmente são poucas as pessoas que se colocam no lugar dos outros com outras lentes.
Como você mesmo disse: "Vale a pena tentar se colocar no lugar do próximo “Mas não caia na armadilha de se colocar no lugar do outro apenas com os seus próprios óculos. Tente enxergar como o outro olhando como se fosse ele também”

Pois, os nossos óculos podem não mais nos servir...

Um abraço,
Carlos Vieira