terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Dezembro: O prazer de estar junto


Estar junto e fazer parte de um grupo é mais que um prazer é uma sensação de acolhimento, de bem-estar de perceber-se adaptado e integrado aos pares. Nesse sentido faz valer os pensamentos: “Ninguém é feliz sozinho”, “Todo mundo precisa de todo mundo” ou ainda “Um ser humano precisa de outro para sobreviver” tais pensamentos são pertinentes, diria então verdades irrefutáveis. Incrível é a capacidade humana de participar de vários grupos simultâneos ao longo da vida, são eles: a família, a escola – depois faculdade – igreja, trabalho, clubes... Enfim uma infinidade de grupos. Acredita-se que quanto mais o sujeito está integrado nos grupos mais satisfação terá em viver. Os limites de agrupamento hoje não se limitam mais ao campo real/físico, vão além e alcançaram o universo on-line. Com a informática surgiram os grupos virtuais e os sites de relacionamentos do tipo Orkut e similares. Há também as comunidades intelectuais e científicas de pesquisas em rede, sem falar no fenômeno dos blogs com as comunidades de seguidores. Não há mais desculpas para a solidão e estar junto não é apenas uma oportunidade física é também virtual. E como é bom estarmos integrados e conectados! Nesse ano de 2009 no Blog Pedro Manoel... Estivemos integrados com vários companheiros/colaboradores e outros tantos companheiros/leitores. Atualmente contamos com cinco seguidores, quatro conhecidos (bons amigos) e mais um que ainda não conhecemos pessoalmente, isso é fantástico! Estar integrado com quem não se conhece quem um dia imaginaria? O Blog conta também com os comentadores “oficiais” - que participam ativamente - a esses dedico um forte abraço de gratidão. E aos leitores assíduos, não menos importantes, dedico meu carinho e minha gratidão. Obrigados a todos que diretamente elogiam nossos textos e também aos quem os criticam, afinal não buscamos a unanimidade, a discussão é o mais importante! Muito obrigado mesmo a todos vocês que fazem o blog!
Grande abraço
Pedro Manoel

5 comentários:

Cristiane Alberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiane Alberto disse...

Pedrinho, feliz 2010 pra você! Que nossa parceria profissional e amizade prospere.

"Pode ir armando o coreto e preparando aquele feijão preto,
Eu to voltando"

Dia 4, quero comer cuscuz com galinha guisada, viu?!

Saudade roxa de tu!
Beijos

Anônimo disse...

Pedro, como sempre você está nos surpreendendo com os seus artigos, interessantes e valiosos. Por que gostamos de histórias, estórias, contos, etc.? Esse artigo é oportuno, principalmente para ser refletido nos dias atuais. Em mundo tão conturbado e estressado, onde os valores estão cada vez mais inversos, praticamente sem rumo e vazios. O homem a cada dia que passa, está ficando máquina e esquecendo-se de seus próprios valores. A globalização muitas vezes tira-o de sua rota, e leva-o a desistir de buscar sonhos e torná-los reais. O faz de conta, nos ajuda a buscar novos horizontes para termos melhores dias. Era uma vez... tudo é possível. Pedro, parabéns!!!!
Bjos. Jô Vital.

Anônimo disse...

Pedro, como sempre você está nos surpreendendo com os seus artigos, interessantes e valiosos. Por que gostamos de histórias, estórias, contos, etc.? Esse artigo é oportuno, principalmente para ser refletido nos dias atuais. Em mundo tão conturbado e estressado, onde os valores estão cada vez mais inversos, praticamente sem rumo e vazios. O homem a cada dia que passa, está ficando máquina e esquecendo-se de seus próprios valores. A globalização muitas vezes tira-o de sua rota, e leva-o a desistir de buscar sonhos e torná-los reais. O faz de conta, nos ajuda a buscar novos horizontes para termos melhores dias. Era uma vez... tudo é possível. Pedro, parabéns!!!!
Bjos. Jô Vital.

josefa disse...

Pedro, como sempre você está nos surpreendendo com os seus artigos, interessantes e valiosos. Por que gostamos de histórias, estórias, contos, etc.? Esse artigo é oportuno, principalmente para ser refletido nos dias atuais. Em mundo tão conturbado e estressado, onde os valores estão cada vez mais inversos, praticamente sem rumo e vazios. O homem a cada dia que passa, está ficando máquina e esquecendo-se de seus próprios valores. A globalização muitas vezes tira-o de sua rota, e leva-o a desistir de buscar sonhos e torná-los reais. O faz de conta, nos ajuda a buscar novos horizontes para termos melhores dias. Era uma vez... tudo é possível. Pedro, parabéns!!!!
Bjos. Jô Vital.