terça-feira, 2 de junho de 2009

Meio ou Inteiro Ambiente?


Estamos na Semana do meio ambiente. E no dia cinco de junho de 2009 é comemorado o dia mundial. A data é propícia para discussão dos rumos que o planeta está tomando. Pois freqüentemente ocorrem as tragédias advindas dos fenômenos da natureza. No Brasil destacam-se, com certa periodicidade, as enchentes no norte e nordeste e as secas no sul e sudeste ambas acompanhadas com muitas vítimas e prejuízos irreparáveis. Há também a destruição da Amazônia e as queimadas no Pantanal Mato-grossense juntamente com a emissão de gás carbônico. Todos esses efeitos da natureza não são novidades no Brasil. Como também não é novidade a inércia das autoridades governamentais brasileiras frente a esses problemas. Não há uma política preventiva eficaz para tais questões. Constata-se: que as barragens estouradas no Pará e no Piauí, no mês de maio, não foram devidamente inspecionadas, que a política de coibição do desmatamento e exploração da Amazônia é ineficiente. Há mais serralheiros do que fiscais do Ibama. E no nordeste a defesa civil não é devidamente treinada para casos de inundações. E quanto ao sul e sudeste ainda acredita-se que a seca é um fenômeno esporádico e caprichoso da natureza. As políticas de proteção ambiental no Brasil são tratadas com pouca seriedade. Bem como, o uso dos recursos científicos e tecnológicos disponíveis ignorados. Grande parte dos chamados “problemas ambientais” brasileiros é previsível e, portanto de possível solução. Deve-se tratar o ambiente por inteiro e não apenas o meio. A hora é agora ou se muda a forma de tratarmos o planeta ou nos mudamos para outro.
Pedro Manoel

4 comentários:

D.Everson disse...

daqui uns dias ninguém vai saber o porquê daquela estrofe: Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá

Oriana GGomes disse...

Acredito na força do pensamento positivo. Então, vamos fazer força para que este problema atinja em primeiro lugar os políticos. Pois, infelizmente dependemos das decisões tomadas por eles que, por vezes corre à nossa revelia. Lembrem-se, pensamento positivo!
;)

Ella! disse...

Infelizmente, passamos do limite há muito tempo e só agora damos atenção aos sinais de esgotamento do planeta: aquecimento, epidemias, fome, enchente, secas...
Trata-se de uma questão de sobrevivência, o problema é global, mas, a solução é local, cabe a nós zelarmos pelo o que ainda nos resta.

Heloísa Bazante disse...

Nossa, Pedro, você escreve bem até quando fala de meio ambiente. Quero ser você! PA-RA-BÉNS!