sexta-feira, 17 de abril de 2009

Dia institucional do abraço...


O abraço é uma das expressões mais sinceras do sentimento. Ao abraçarmos alguém abrimos o nosso peito e acolhemos o outro para protegermos. Há uma troca recíproca. Dessa forma, repetimos então um gesto ancestral recebido no início da vida quando nascemos e nos deparamos com nossa mãe. O abraço é um gesto carregado de recordações maternas, aquelas primeiras nas quais estamos frágeis e indefesos. Ao longo da vida repetimos esse gesto genuíno (digo verdadeiro) especialmente com as pessoas amadas. E para elas o fazemos naturalmente e com prazer. O que diria então de um dia instituído especialmente para o abraço? Vou além... Um dia instituído para o abraço no trabalho? Inevitavelmente me ocorre um dia cheio de rituais... Salvo engano, tal evento descaracteriza o abraço, sentimento tão natural e sincero.Tentativas institucionais, mesmo que “inocentes” para harmonizar ambientes de trabalho podem agravar o problema, ou seja, causar o efeito contrário. Acredito que ambientes harmoniosos se constroem no dia a dia. Começando pela realização das tarefas diárias até aos cumprimentos no elevador. Relações construídas com respeito e profissionalismo! Questiono-me também: e o “the day after” dos dias institucionais? Há resultados positivos? Se afirmativo vivas! Por quanto tempo? Um dia, dois, um ano? Maravilha! Vamos então criar o dia: Do compromisso no trabalho, Do bom dia á chegada, Da comunicação interpessoal com respeito, Do obrigado... Sem esquecer do Dia do respeito à opinião contrária! Pois acreditem, nem todos pensam ou são iguais nas empresas. Esclareço, não sou do contra aos dias temáticos! Acho até divertido. Questiono a ideologia, demagogia, hipocrisia... de alguns. Claro que há exceções. E há mesmo! Maravilha o mundo está salvo!

Abração Pedro

4 comentários:

Milton Carvalho disse...

Penso que os dias temáticos devem sempre existir na rotina de um trabalho, que às vezes é estressante, cançativo, cheio de cobranças Etc. Você questiona a a ideologia, demagogia, hipocrisia... Mas, onde não há todos esses sentimentos??? A final, se nós formos viver com essas ressalvas, a vida não terá segmento. Ex.: Eu não vou amar porque eu poderei ser traído, ou não serei correspondido... Não vou me levantar porque eu poderei cair... Na vida sempre haverá alguém que queira nadar contra a maré.

Ressalvo, por tanto que iniciativas como essas são louváveis, pois promovem a humanização de algo que normalmente é muito técnico. E se determinado indivíduo age com falcidade, o único prejuldicado é ele mesmo.
VIVA O DIA DO ABRAÇO!!!
Milton

Oriana disse...

Oi, Pedro! Adorei seu blog! Sempre que eu puder darei uma espiadinha!

Farei meus comentários se der tempo, tá?

Xero!

Cristiane Alberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiane Alberto disse...

Pedrinho,

Penso que devemos dar graças por aqueles que de coração sincero forem capazes de exalar um pouco de amor, num olhar, num sorriso, num aperto de mão, num "bom dia" ou num abraço (institucionalizado ou não). Porque o amor que sai, nunca se perde e em algum momento... volta. Para aqueles que ainda andam perdidos, nas valas cheias de amargura, frieza, cinismo, maldade, indiferença e dor... devemos estender-lhes o braço, num mais que forte abraço acolhedor, porque Aquele que mais amou assim nos ensinou. Mas será que amanhã continuará sendo o Dia do Abraço? Isso só depende de mim. Aliás, depende de cada um de nós, exalar amor num olhar, num sorriso, num aperto de mão, num “bom dia” ou num abraço, institucionalizado ou não.

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. (Provérbios 15:1)